Skip to content

Como serão as viagens pós pandemia do coronavírus?

Atualizado em: 28 jun, 2020

Difícil prever como serão as viagens pós pandemia. Na minha opinião não teremos um dia D. Não será de um dia pro outro que ficará seguro viajar e as coisas irão voltar a ser como eram antes. Teremos um processo de aprendizado e adaptação ao chamado “novo normal”. Com base em tudo que tenho acompanhado, a vacina, mesmo estando em testes em alguns países, estará disponível no início de 2021, isso em um cenário bem otimista.

Não quero de forma nenhuma incentivar as pessoas a viajarem nesse momento, mas que possa servir como informação para quem precisa viajar e para quem está começando a planejar suas viagens.

Viagens aéreas pós-pandemia

Embarque

No dia 19 de junho eu embarquei pela Gol para Foz do Iguaçu e contarei aqui como estão as viagens aéreas. A chegada no saguão do aeroporto de Guarulhos foi bem tranquila, nunca tinha visto tão vazio. Placas sinalizando a obrigatoriedade do uso de máscaras logo na entrada.

E fiquei feliz de ver que tem bastante sinalização para distanciamento social; no elevador, nas escadas rolantes, nas cadeiras. Claro que vai depender das pessoas seguirem. Nos pilares tem também display com álcool gel, informações sobre o vôo para serem acessados por QR code e orientações sobre o Corona vírus.

No check-in temos uma barreira de acrílico no balcão que protege o funcionário e o passageiro. Um leitor de código de barras é utilizado para a leitura do cartão de embarque e os documentos são mostrados para conferência, evitando assim qualquer contato com o atendente. A fila também tinha marcações no chão sinalizando o espaço para o distanciamento social seguro. Os totens de check-in, aqueles computadores que você emite seu cartão, no aeroporto também foram desativados, é incentivado ao passageiro fazer todo o processo através do site e aplicativo.

O embarque tem um termômetro corporal e uma pessoa fica de longe pelo computador acompanhando a entrada de cada um. Até então achei que tudo funcionou bem. Na hora de passar pelo raio-x já foi o primeiro momento que ocorreu contato. Não vi nada além do álcool gel para a precaução. As bandejas circulam com os pertences das pessoas e retornam para o início da esteira sem nenhuma esterilização. As pessoas também ainda são obrigadas a tirar os sapatos e passar de meias ou descalsas pelo detector de metais. Achei que esse foi o primeiro ponto vulnerável que eu sugiro ter cuidado, evite calçados com fivelas, eu estava de tênis e não precisei tirar.

Nos encaminhamos para o portão de embarque e achei o pessoal da Gol bem preparado. É obrigatório o uso de máscaras durante todo o vôo, e os funcionários podem impedir a pessoa de embarcar caso ela se negue a utilizar. Caso a pessoa esqueça a máscara, ou deixe cair e precise de outra, a Gol também fornece uma máscara descartável embalada individualmente.

Eles inclusive nos contaram de uma pessoa que se negava a utilizar a máscara, alegando que já tinha tido Covid. Foi impedido de embarcar, e só autorizado quando concordou em utilizar a máscara. “É por respeito aos outros passageiros”, disse o responsável da Gol.

A chamada para embarque também achei bem organizada, com marcações no piso para o distanciamento e chamada de prioridades por lei primeiro. Logo após é feita a chamada por fileira começando pelo final da aeronave; os assentos conforto, na frente do avião, são os últimos a embarcar. Achei muito lógico e espero que essa mudança tenha vindo para ficar.

Na volta de Foz viemos com outra companhia e percebemos que esses protocolos que chamaram atenção na Gol não são padrão para todas as companhias. Inclusive no check-in a atendente pegou nossos documentos e nos deu um boarding pass em papel. O serviço de bordo foi feito durante o vôo e muitas vezes os comissários passaram recolhendo lixo, na saída do avião apesar de anunciado o desembarque por fileiras, não foi respeitado.

Durante o Vôo

Uma das perguntas que mais recebi pelo Instagram foi como está o espaçamento entre as poltronas do avião. De acordo com a informação que coletei, as companhias não estão deixando poltronas vagas. Inclusive porque com a diminuição drástica dos vôos algumas companhias anunciaram que isso seria inviável financeiramente.

Na aeronave da Gol, que era na disposição corredor único com 3 poltronas de cada lado, suas 5 fileiras iniciais são consideradas assento Mais Conforto e as poltronas do meio foram deixadas vazias. Essas poltronas têm um custo para serem reservadas, no caso do meu vôo foi R$ 55,00 cada uma. Achei que valeu para viajar mais tranquila. O restante do avião não foi deixada poltrona livre no meio.

Outro protocolo adotado pela Gol é de não ter serviço de bordo, durante o vôo, evitando assim circulação dos comissários e ainda que as pessoas retirem as máscaras para comer. Água é entregue para quem solicitar em copo individual. Ao final do vôo, já na saída do avião, foi entregue um bolinho industrializado.

O que mais me surpreendeu foi saber do filtro HEPA sigla para o inglês ‘High Efficiency Particulate Air’, que tem em todas as aeronaves e filtra 99,7% de quaisquer partículas nocivas à saúde, como vírus e bactérias. O filtro mantém o ar em circulação, sendo renovado a cada 3 minutos. Nessa matéria do UOL é explicado exatamente o funcionamento do filtro. O filtro não foi algo implementado agora com o coronavírus, a preocupação com a qualidade do ar nas aeronaves é algo que existe há muito tempo.

Quanto à limpeza, que também foi um dos pontos que recebi muitas perguntas, foi adicionada uma etapa com desinfetante de nível hospitalar. Também gostei do que vi, pois no vôo os assentos eram de couro e não tinham aquele papel protetor de cabeça no encosto. Mas é difícil avaliar a limpeza do carpete, dos banheiros. Achei melhor não beber muita água pra não precisar utilizar.

Ainda assim levei meu álcool gel e lencinhos desinfetantes, assim que entramos passei nos apoios de braço e na lateral da janelinha, não custa pecar pelo excesso. Não é permitido álcool líquido no avião, também não sei explicar bem o motivo, mas eles anunciaram que quem tivesse deveria entregar aos comissários, mesmo em recipiente pequeno.

Outra mudança foi também a revista de bordo que ficava no bolsão da cadeira da frente, todos foram retiradas e podem ser solicitadas aos tripulantes caso você queira, vindo embalada em plástico. A quantidade de plástico que tudo isso vai gerar para o meio ambiente é assunto pra mais uma matéria, né. 

Na hora de desembarcar foi anunciado que seria feito por fileiras começando das primeiras, e solicitado que as pessoas aguardassem sentados. No vôo de ida (estava mais vazio) fiquei surpresa que a grande maioria seguiu as regras e realmente aguardaram cada fileira pegar suas bagagens e desembarcar. No vôo da volta a minha fé na humanidade já terminou. Isso mostra como mais importante que regras e protocolos o comportamento das pessoas é fundamental para a segurança de todos.

Protocolos dos Hotéis – Viagens pós pandemia

Acompanhei diversas lives, releases e comunicados sobre a reabertura e os protocolos utilizados pelos hotéis para receber os turistas pós pandemia. Vou listar alguns aqui para vocês, para que questionem os estabelecimentos antes de irem. E vou contar também a experiência na prática que tive no Hotel em Foz do Iguaçu.

Protocolos que achei muito importantes:

Acredito que a maioria dos hotéis que já estão abertos ou planejando abrir, estão funcionando com ocupação reduzida. Isso acho fundamental para diminuir o contato entre os hóspedes, e também funcionários. Aguardar 72 horas para utilizar novamente o quarto e distância entre as acomodações utilizadas, são outras práticas que vi os hotéis anunciarem.

Obrigatoriedade de máscaras e display com álcool gel constam em todos os protocolos que eu li, e acredito que isso é o básico, não pode faltar.

Também li diferentes protocolos de check-in, alguns feitos com antecedência com preenchimento de fichas por e-mail, outros por meio de sistemas e aplicativos. A nossa experiência foi um check-in tradicional com preenchimento da ficha em papel, mas sem contato, com uma caixa de canetas esterilizadas e uma para canetas utilizadas. 

Quanto à limpeza do apartamento, ouvi alguns procedimentos diferentes, mas sinto que todos estão se preocupando além de uma limpeza reforçada com produtos hospitalares, bactericidas, também com a circulação de outras pessoas nos quartos. Ocasiões onde funcionários entravam nos quartos já limpos, para reposição de frigobar por exemplo, ou mostrar o quarto para hóspedes foram suspensas.

Ouvi muito dos hotéis também falarem sobre treinamento e orientação dos funcionários, acho a parte mais importante, envolve fator humano. Se a pessoa não estiver fazendo algo que acredita, ou ela minimizar o impacto do vírus, pode colocar em risco um hóspede, mesmo que o Hotel tenha uma lista de protocolos escritos.

No Hotel que nos hospedamos, as toalhas e edredom estavam embalados em plástico, o rolo de papel higiênico também, assim como os produtos do Mini Bar e os controles remotos da TV e ar condicionado. Controle remoto era uma das coisas que eu não gostava de pegar em hotéis, acho que essa precaução de trocar o plástico a cada hóspede devia ficar mesmo depois da pandemia. Concordam?

As áreas comuns como parquinhos ainda permaneciam fechadas, e a recreação estava sendo feita para as crianças juntamente com os pais, ao ar livre e com o uso e máscaras obrigatórias. Na piscina as espreguiçadeiras mantem um distanciamento maior e na piscina depende de cada um manter a distância.

No restaurante o serviço de buffet foi substituído por um café da manhã à la carte, com frutas servidas no prato embaladas em plástico, opção de pedir ovos e tapioca que também vinham da cozinha embalados. E as mesas mantinham um certo distanciamento. Todos os dias a temperatura também era medida na entrada do restaurante e a atendente nos lembrava de passar álcool gel nas mãos antes de entrar.

Durante o final de semana almoçamos e jantamos em outros restaurantes que eram no estilo de buffet. Nesses locais era entregue uma luva para a pessoa se servir no buffet e era obrigatório se servir de máscara e sem usar o celular. Na teoria parece uma boa ideia, mas é difícil de manter uma luva sem tocar nada que possa estar contaminado, acabamos colocando e tirando, apoiando na mesa, esquecemos e pegamos o celular, então esse esquema definitivamente não acho recomendável. Seria melhor obrigar a passar o álcool gel na entrada do buffet. Mas acredito que a segurança é bem maior se o buffet puder ser substituído pelo sistema à La Carte.

Receptivo e passeios

Fomos recebidos pelo pessoal do MMC Receptivo em Foz do Iguaçu. Achei os cuidados muito bons, logo que chegamos o motorista já limpou com álcool nossas malas. Os assentos foram reduzidos e sempre é deixado um assento vazio a cada pessoa. Em Foz é obrigatório o uso de máscara inclusive dentro do carro, sob pena de multa. Não vimos nenhuma pessoa sem máscara.

A conclusão de ter tido a oportunidade de vivenciar na prática é que protocolos são importantes sim, indispensáveis. Mas é quase impossível evitar todos os riscos de contato com o vírus. A medição de temperatura ajuda, acho que é melhor do que não ter, mas muitas pessoas mesmo estando com a doença não apresentam febre. Acho que a máscara e o álcool gel utilizado a cada momento que tocamos em algo, cuidado para não levar as mãos no rosto e boca, são mais relevantes.

Ainda o que eu vejo é que todo o esforço dos estabelecimentos depende e muito da colaboração de cada um. Como todo procedimento, depende de pessoas. Seres humanos, esse é o fator de risco mais complicado. Quando vejo que as pessoas não conseguem desembarcar do avião por fileiras, uma atitude tão simples, perco um pouco a fé de que as pessoas vão conseguir conviver com esse vírus. 

Reforço então que quem precise viajar fique muito atento, e não esqueça o seu álcool gel, estoque de máscaras, entre outros para reforçar a sua proteção. Tudo que estamos acostumados a fazer de forma automática agora precisa ser feito de forma atenta. No momento acredito que viagens a lazer de avião ainda devem ser evitadas. Mas entendo que muitas pessoas precisam se deslocar por motivos diversos que não turismo.

Continuaremos monitorando as notícias sobre o Covid e atualizando essa matéria para passar a vocês sempre a nossa visão mais recente sobre os fatos. E principalmente rezando para que os números de casos diminuam, e aos poucos possamos reestabelecer nossas vidas.

Veja também o Vídeo no Youtube no canal da Patty Leone Top Travels.

PARCEIROS

Renata Sucena

Renata Sucena

Administradora e mãe do Gabriel de 8 anos, trabalhou por 15 anos em marketing em instituições financeiras. Buscando unir duas de suas paixões, viagens e fotografia, criou o blog Viagem em Detalhes. Acredita que viagens criam lembranças preciosas, ampliam horizontes e reforçam laços de afeto.

No comment yet, add your voice below!


Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

illust_bag2

Assine a nossa newsletter

e receba tudo em exclusividade :)

Assine a nossa newsletter

e receba tudo em exclusividade :)

CONTATO

Caso seja de sua preferência nos envie um email para [email protected] e teremos o maior prazer em te responder.